pular para o conteúdo [1]

Menu Principal

Fim do Menu Principal

Estrutura

Estrutura

O IPC mantém sua sede na Avenida Visconde de Guarapuava, em Curitiba, desde 1946 – antes, ficava instalado na Avenida. Getúlio Vargas. A sede é composta por três edificações que foram construídas em tempos diferentes.

A primeira é a mais antiga e hoje contempla A Moradia Acolhedora, enfermagem, refeitórios, cozinha, despensa, academia, lavanderia e salas de atividades sócio-educacionais, arquivos e almoxarifado. Anexo a este prédio há outra edificação, construída no final da década de 1990 e que abriga a recepção, setor administrativo, salas do serviço psicossocial, do Projeto Ver com as Mãos, auditório, sala da direção e mais duas salas de reuniões. Ao lado dessas duas edificações, existe um terceiro espaço entregue em 1978, onde funciona o CAEE (Centro de Atendimento Educacional Especializado) e a Escola Professor Osny Macedo Saldanha. Ali estão salas de aulas, dos professores, secretaria e direção e equipe pedagógica, além da biblioteca, cozinha, despensa, refeitório, almoxarifado e saguão. Dentro do complexo, ainda existe uma pequena quadra de esporte.

Entre o período de 2013 e 2015, essas três edificações passaram por um processo de reforma e redimensionamento dos espaços físicos. As duas edificações onde funciona o IPC, inicialmente, foram pensadas como espaço de moradia para pessoas cegas no regime de internato. Então, as obras buscaram redefinir os ambientes para atender às necessidades do Novo IPC. No espaço interno, rampas de acesso foram construídas, facilitando a circulação entre os diversos ambientes onde as atividades são realizadas. Ainda dento do prédio, foram construídos banheiros, academia e revitalizadas áreas social, de lazer e de esporte, ampliados refeitório, cozinha, lavanderia, enfermagem e toda a área administrativa. Houve ainda troca de mobiliário e do sistema elétrico, além da compra de equipamentos. Um outro espaço que até então ficava praticamente abandonado foi redimensionado e passou a abrigar uma churrasqueira e um pequeno salão de festa, que é utilizado para atividades sociais.

Já no espaço externo, as duas áreas onde os veículos ficam estacionados foram revestidas com piso apropriado, áreas de circulação também foram construídas e outros espaços foram revitalizados. Foi cerca de quase R$ 1,1 milhão em investimentos, recursos provenientes de fonte própria, doações, convênios e emendas parlamentares, que deram condições mais adequadas de trabalho, de atendimento ao público e de acolhimento na Moradia e na Escola.

Em 1990, o IPC recebeu a doação, pelo Governo do Paraná, de um terreno de 48 mil metros quadrados localizado no bairro Campo Comprido, em Curitiba, sendo que 12 mil metros quadrados foram revertidos para o Estado, por decisão judicial, para fins de projetos de urbanização e construção de casas populares. O imóvel, agora com 36 mil metros quadrados, está locado e se configura como a principal fonte de renda do IPC. Ali será construído um empreendimento com retorno social, por meio de parceria com a iniciativa privada.

Ao todo, o instituto possui treze imóveis, sendo onze em Curitiba e dois imóveis sem habitação em Guaratuba (PR) e em Enseada (SC), que foram adquiridos ou recebidos por meio de doações ao longo da história. Sete deles estão locados para fins comerciais: além do Campo Comprido citado anteriormente, eles estão localizados na Rua Marechal Deodoro, Riachuelo, Silva Jardim e na Galeria Andrade. A receita advinda deles cobre apenas 30% do custo de manutenção dos serviços prestados gratuitamente às pessoas com deficiência visual pelo IPC.

Os outros seis imóveis não são revertidos em renda: imóvel que abriga o CAEE (Centro de Atendimento Educacional Especializado), na sede do IPC; imóvel no bairro Portão – o instituto está aguardando decisão judicial para que ele seja reintegrado ao patrimônio do IPC; a Vila dos Cegos, no bairro Santa Quitéria, doada pela Prefeitura de Curitiba com dez lotes que atualmente são ocupados por famílias e que também está com processo judicial sobre pedido de nulidade das escrituras, feito pelo Ministério Público Estadual; e uma Área de Proteção Ambiental localizada às margens da BR-277, no alto da serra, no sentido Curitiba – Paranaguá. O IPC tem buscado parcerias interessadas em desenvolver na região atividades econômicas não poluentes. O imóvel onde funciona a sede do IPC desde 1946 pertence ao Governo do Estado do Paraná e é cedido por meio de regime de comodato, constantemente renovado. O instituto vem há anos preiteando a doação deste imóvel.

Diante deste cenário, é importante frisar que os repasses públicos e as doações de empresas e dos Amigos do IPC são determinantes no funcionamento da instituição e na continuidade da prestação de atendimento sem custo a pessoas com deficiência visual, incluindo a Moradia Acolhedora. Para saber mais sobre as doações, clique aqui.

Baixar arquivo

Álbum de fotos

Clique em uma foto e veja mais imagens.
Crédito das fotos: Marya Rodrigues.
Voltar